domingo, 14 de dezembro de 2008

Onde anda o Natal?

Parece que quanto mais os anos passam por mim, o Natal me sabe cada vez menos a Natal. O verdadeiro: do calor humano, do prazer da família reunida, em que as prendas à meia-noite são a perfeita culminação de uma noite extremamente agradável. E, no entanto, e até paradoxalmente, a cada ano que passa mais cedo se sente a histeria consumista que vai sustentando o "Natal" actual. Artificial, vendedor de ilusões.

2 comentários:

Nuno Silva Leal disse...

Se depender de mim terás calor quanto baste, primão! Ainda estou quente do sol todo que apanhei hoje e com certeza que na 3ª depois de novo dia de praia ainda levo reserva calorifica para todos. E tou com uma fome do puré da tua mãe... Hmmm... Até me vem vinho do Douro à boca (do teu pai) só de pensar nisso!

Guardem um pouco de frio para mim que eu levo um pouco de calor de cá! Isto de Natal na praia é deveras diferente...

Girstie disse...

O Natal anda nas lojas e nos cartões de crédito